terça-feira, 29 de março de 2011

Revistando 1 - GQ Brasil nº 1 abril de 2011


Hoje damos início aqui no blog à série “Revistando”, onde escolhemos algumas publicações e damos uma geral nos prós e contras do seu layout.
A eleita pra começar a série é a GQ (Gentlemen’s Quarterly), que depois de emplacar em 17 países com layouts pra lá de sofisticados acabou de chegar por aqui, publicada pelas Edições Globo-Condé Nast, a edição de estreia chega com a modelo Alessandra Ambrósio na capa e recheada de publicidade de marcas fortíssimas.
Apesar das matérias bem bacanas, a primeira edição da GQ Brasil deixou um pouco a desejar no quesito projeto gráfico, a divisão de colunas confusa dificulta a leitura e dinamismo da página, não parece haver um grid para diagramar as páginas, principalmente se compararmos com a edição americana que apresenta tudo em seu devido lugar, layout leve e bem cuidado, com elementos bem sutis para não deixar a página carrancuda, veja alguns prós e contras da GQ Brasil que listamos:




PRÓS

- Belíssimas ilustrações (Dênis Freitas) num estilo colagem no caderno “GQ Diálogos”.



- Fotos muito bem produzidas valorizam as páginas (Gavin Bond, Luiz Garrido, Robert Astley Sparke, Daniel Kfouri entre outros).





- Capas divisórias de cadernos, simplifica a linha de leitura sem desvalorizar o conteúdo. 

- Ótima escolha de tipografias, com estilos e pesos contrastantes, adequado ao estilo sofisticado da revista, a leitura é ótima.
- A matéria de comportamento “Guia de conduta para o homem pós-moderno” ficou muito interessante com o alfabeto de tipografia estilizada, muito bem ilustrada.


 
- A matéria “Os segredos dos índios Aikewara”, que traz belíssimas fotos e uma tarja ilustrada no centro da página que torna a leitura mais agradável.





CONTRAS
- Crédito de matéria na capa empobreceu, todos devem ser creditados, mas não na capa.

- Uso excessivo de caixas irregulares, em transparência ou não, tornando o layout pesado e poluído além de desvalorizar as belíssimas fotos da revista. A GQ Itália também usa caixas e tiveram uma solução bem mais elegante.



 GQ Itália



- Tarjas sem padrão nos boxes das matérias, parece que cada matéria a tarja aparece de um jeito.
- Topo do caderno “GQ Diálogos”, os triângulos enfileirados poluíram o layout e reduziram o valor das ilustrações. 


 - Pot-pourri de fotos sem grid aparente, deu um ar de desleixo e não de moderno, a GQ americana solucionou isso lindamente.
 GQ USA

análise @camilajanaina

2 comentários:

Caio Kwa disse...

Arrasaram eim. =D

KENDIG disse...

manows parabéns hen

muito bom mesmo! =D

Postar um comentário